A estratégia que rendeu 8 vezes mais que o Ibovespa


As primeiras semanas de 2016 foram devastadoras para o mercado acionário brasileiro: seguindo a tendência do ano anterior, quando recuou 13,31%, seu principal índice, o Ibovespa, já acumula perdas de 11,03%.

Em todo o caso, existem algumas estratégias passivas que comumente superam o Ibovespa. Elas envolvem, basicamente, o acompanhamento de alguns índices setoriais ou de algum modelo de investimento pré-definido.

Vejamos como se desenvolveram alguns índices acionários brasileiros entre janeiro de 2007 e dezembro de 2014 (posteriormente incluiremos os dados de 2015):

IBOV (Ibovespa): +12,47%
IDIV (Índice de Dividendos): +98,05%
ICON (Índice de Consumo): +159,39%
IFNC (Índice Financeiro): +120,46%
IUTL (Índice de Utilidade Pública): +98,80%
INDX (Índice Industrial): +69,85%
IMAT (Índice de Materiais Básicos): +0,08%

No mesmo período, a poupança rendeu 73,17% e a inflação, medida pelo IPCA, avançou 55,04%. A taxa SELIC acumulada, por sua vez, foi de 119,71%.

 
Perceberam? Entre 2007 e 2014, quatro índices (ITUL, IFNC, ICON e IDIV) superaram a inflação e obtiveram resultados melhores que os da poupança, mesmo que seja descontado o Imposto de Renda de 15%, que incide sobre as operações de renda variável.

Apenas um índice, o Índice de Materiais Básicos, teve performance inferior ao do Ibovespa, tendo o Índice de Dividendos, formado pelas maiores pagadoras de dividendos da bolsa brasileira, superado em quase 8 vezes o rendimento do Ibovespa no período analisado.



Artigos sugeridos:
- Ranking de corretoras (Tesoura Direto)
- Maiores altas e maiores quedas de 2015

.