Refeições fora de casa em tempos de crise?


Em tempos de vacas magras, cortar despesas deixa de ser uma opção e passa a ser uma necessidade. Por isso, falaremos hoje sobre os gastos realizados com refeições fora de casa.

Se você é como eu, que geralmente almoça em restaurantes, por praticidade e mesmo necessidade, deve verificar se essa despesa se adéqua a seu orçamento.

Em muitos casos, é mais fácil e barato almoçar em restaurantes a quilo ou em restaurantes que oferecem os chamados "pratos feitos". Afinal, para muitas pessoas, o deslocamento entre o local de trabalho e suas casas, somente para almoçar, é inviável. Acaba-se perdendo um tempo precioso no trânsito e, em muitos casos, ao preparar as refeições. Sem falar que há diversos gastos, de certa forma ocultos, no hábito de almoçar em casa: a gasolina do carro ou a passagem do ônibus, o consumo de gás e energia, o gasto com os alimentos, entre outros.

Atualmente, no entanto, com o aprofundamento da crise econômica, almoçar fora de casa, mesmo sendo necessário, tornou-se um gasto excessivamente oneroso no orçamento de muitas famílias. Nesse caso, existem duas opções que podem ajudar a equilibrar seu orçamento:

- buscar um restaurante mais barato, que se adéque a sua atual condição;
- levar o almoço de casa (marmita) e comer no próprio trabalho (1 ou 2 vezes por semana, ou mesmo todos os dias).

Por outro lado, se esses almoços diários podem ser considerados necessários, há algumas despesas que temos em restaurante que podem efetivamente ser cortadas: jantares com amigos e almoços de fim de semana.

Para quem tem uma vida financeiramente saudável, despesas de R$ 50, R$ 100 ou R$ 150 dificilmente prejudicarão o orçamento.

Você não deve ter vergonha de gastar o dinheiro que ganhou com seu trabalho, você apenas precisa verificar se as suas contas estão fechando no final do mês.

Se as contas estão fechando no vermelho ou se a fatura do cartão de crédito veio maior que o esperado, porém, está na hora de repensar os gastos ocasionais. Afinal, supondo que você gaste R$ 100,00 por semana com refeições fora de casa (alimento, bebida, combustível, estacionamento), em um ano você gastará R$ 5.200,00, que é uma quantia substancial.

Isso não signifca que você tenha que parar de sair com seus amigos ou de fazer programas em família. Ao contrário, significa que você deve repensar seus gastos.

Vamos supor que você tenha um ou dois filhos... Que tal levá-los a um piquinique no parque, substituindo um almoço em um bom restaurante? A experiência será muito mais divertida e barata. Afinal, será algo diferente, que as outras pessoas não costumam fazer.

E se você quiser sair com os amigos? Que tal combinar de fazer uma refeição dentro de casa? Você e seus amigos podem combinar, por exemplo, que uma vez ao mês alguém vai preparar um prato diferente e convidar os amigos. Novamente, uma experiência diferente e muito mais gratificante.

Por fim, se você ainda quiser sair, ir a um lugar diferente, que tal dividir o lanche com os amigos. Porções e petiscos são mais baratos que pratos a la carte e, ainda que não matem sua fome, permitirão que você passe um tempo com os amigos.

Enfim, são pequenas atitudes que deixarão seu orçamento mais folgado sem impedir que você tenha uma vida social.

E aí, mais alguma dica?




Artigos sugeridos:
- Você pretende se aposentar? 
- Comprar ou alugar? Eis a questão!
- Você precisa mesmo de um carro? E de um segundo carro?

.