7 Dicas para economizar energia elétrica


Não é novidade: pagamos por uma das mais altas contas de energia elétrica do planeta.

E isso se deve, basicamente, a existência de governos populistas e incompetentes, incapazes de pensar no longo prazo e de planejar o desenvolvimento nacional, e de empresas públicas pessimamente administradas, com duas vezes mais funcionários que o necessário e obras que, sem contar a corrupção, custam duas vezes mais que as da iniciativa privada.

Além disso, contribuem para encarecer nossa conta de energia o fato de nossos grupos privados buscarem lucros irreais, quando comparados aos padrões internacionais, e o fato de nossa população ser naturalmente corrupta e acomodada, acostumada, por exemplo, com o roubo de energia (gatos), que "não prejudica" ninguém.

Desse modo, nossa eletricidade, que era para ser a mais barata do mundo, dada a existência de fontes renováveis mais do que suficientes para abastecer toda a população, é na verdade uma das mais caras: mais cara que a de países como os Estados Unidos, a Suíça, o Reino Unido e, pasmém, o Japão!

Vejamos o ranking elaborado há cerca de 1 ano pela revista Veja, com base em dados obtidos pela Firjan:


Em todo o caso, você veio até aqui em busca de dicas para economizar, não é mesmo? Vamos lá:

Aparelhos ociosos:

Muitos aparelhos (televisor, micro-ondas, ar condicionado), mesmo quando estão desligados (em stand-by), continuam a consumir uma pequena carga de energia. É pouco, mas, ao final do mês, essa pequena carga pode representar até 10% do consumo de sua residência.
Sendo assim, se possível, desligue os aparelhos da tomada quando não for mais utilizá-los, pelo menos durante a noite. Quanto aos aparelhos que você não usa com frequência, como o televisor do quarto de visitas ou o DVD da sala, deixe-os fora da tomada. Em um ano, dependendo da quantidade de aparelhos de sua casa, você economizará dezenas, talvez centenas de reais.

Ar condicionado (segundo maior vilão):

Para reduzir os gastos com um dos maiores vilões da conta de energia, vale a pena comprar um aparelho mais caro, que contenha o selo de energia "A", pois ao final de um ano sua economia pode ser superior a R$ 200,00. Para se ter uma ideia, 100 W de economia por hora e uma utilização de 8 horas diárias geram uma economia de R$ 175,00 em um ano (considerando um custo por Kwh de R$ 0,60).
Além disso, procure comprar um aparelho com a potência adequada ao tamanho do cômodo (nada de comprar um aparelho de 20.000 BTUs para refrigerar um pequeno quarto) e não se esqueça de desligá-lo quando não houver mais ninguém utilizando o ambiente.
Aliás, uma temperatura entre 21 e 24 graus é bastante agradável, ou seja, evite programar temperaturas inferiores a 21 graus: o gasto de energia é significativamente maior, sem falar nos danos que pode gerar a sua saúde, com a saída de ambientes polares para ambientes tropicais (afinal, você provavelmente não tem refrigeração em todos os cômodos de sua casa e de seu trabalho).

Iluminação:

Lâmpadas LED, embora muito mais caras que as lâmpadas fluorescentes e incandescentes, iluminam mais, consomem menos e duram dezenas de vezes mais (ou seja, raramente serão trocadas).
É claro, ninguém aqui vive no mundo da fantasia, como nosso governo, e sabemos que a maioria da população não tem condições de comprar esse tipo de lâmpada, que ainda é muito caro.
Por isso, se você não tiver condições de adquirir lâmpadas LED, opte pelas fluorescentes, que gastam muito menos que as incandescentes e duram bem mais que estas. Fica a dica.

Chuveiro (maior vilão):

Por mais que um banho de 5 ou 10 minutos seja suficiente, não vamos pedir que você encurte o seu banho. Você economizaria água e energia, mas não adianta dar palpite sobre certos hábitos.
Apenas para fins de consideração, porém, saiba que uma casa com 4 pessoas, cujos banhos duram cerca de 15 minutos, consome cerca de 216 Kwh por mês apenas com o chuveiro, que equivalem a R$ 129,60 na conta de energia. Uma redução de 5 minutos no tempo de banho representaria, assim, uma economia mensal de R$ 43,20 por mês, ou R$ 518,40 por ano.
Mas enfim, existem duas outras formas de economizar energia no banho: em dias quentes e no verão, mude a posição de seu chuveiro para Verão, o que representará uma economia de mais de 30%. Além disso, procure limpar os furinhos do seu aparelho de vez em quando (uma ou duas vezes ao ano), o que também reduzirá seu consumo de eletricidade.

Computador:

Se você é como eu, deve ter o hábito de deixar o computador ligado ininterruptamente, às vezes fazendo downloads, ou, simplesmente, por comodidade. Estamos, no entanto, perdendo dinheiro.
O consumo de um computador ligado não é muito alto, mas, no longo prazo, desligá-lo quando não pretendemos mais utilizá-lo pode gerar uma economia significativa (outra coisa que pode nos ajudar a economizar energia é programar o monitor para ser desligado em 10 ou 15 minutos sem utilização).

Geladeira:

No interior, é muito comum que as famílias utilizem a parte de trás da geladeira para secar alguns roupas: não apenas estão aumentando o consumo de energia do aparelho (perdendo dinheiro, portanto), como estão reduzindo sua vida útil. Se você também costuma fazer isso, está na hora de mudar esse hábito.
Além disso, somente abra a porta da geladeira quando precisar (nada de abrir a geladeira só para ver o que tem dentro), e não coloque paninhos sobre as prateleiras: eles dificultam a circulação do ar e exigem maior potência do motor, gerando maior consumo de energia.
Por fim, verifique sempre as borrachas de vedação da porta e, se necessário, providencie a troca. Um teste simples pode ser feito com uma folha de papel: coloque-a na porta e veja se ela sai faciilmente depois que sua geladeira é fechada.

Ferro de passar e máquina de lavar:

Antes de usar a máquina de lavar ou o ferro de passar, acumule roupa. Nada de ligar uma máquina grande para lavar uma ou duas peças.
No caso do ferro de passar, se você tiver que parar por mais de alguns minutos, desligue-o, por segurança e para economizar energia.


E aí? Mais alguma dica?

.